Agora vou de férias, vou-me perder…

Agosto, férias, praia, convívios… 

E onde fica a dieta? 

É muito comum eu escutar em consulta: “De férias eu esqueço-me de tudo!” ou “Não vou conseguir resistir”.

E a minha questão é… Porque tem de ser assim? Porque temos de viver presos a esses padrões? 

Sabia que ao contrário do que pensa esses pensamentos não lhe dão liberdade, mas sim aprisionam-na?! 

O pensamento de que se vai estragar nas férias só existe porque passa o resto do tempo na mentalidade de restrição, na mentalidade de dieta!

Liberdade é não ter medo!

Liberdade é não pensar que nos vamos estragar, mas sim que estamos no controlo da nossa alimentação! 

Liberdade é não estarmos dependentes da comida! 

Liberdade é comer o bolo quando queremos comer o bolo e a alface quando queremos a alface. 

Liberdade é fazer essas escolhas quer estejamos de férias ou não! 

Liberdade é durante todo o ano sabermos comer bem, termos uma boa relação com a comida e sabermos respeitar o nosso corpo. Liberdade é não passarmos o ano preocupados com o que comemos e depois numa semana não ter preocupação nenhuma. 

O pensamento de que se vai estragar nas férias só existe porque passa o resto do tempo na mentalidade de restrição, na mentalidade de dieta! É como se fosse um prisioneiro que sai uns dias em liberdade condicional! 

É essa a vida que quer para si? De viver uma falsa liberdade? 

O primeiro passo para “não se perder” em férias, convívios ou o que quer que seja é então mudar de pensamento, mudar de atitude e lembrar-se que está de férias para relaxar não pela comida! 

Lembre-se que tudo é uma questão de equilíbrio, siga este passo a passo para se orientar:  

Passo 1

Perante o alimento pergunte-se: De 0 a 10 o quanto eu quero verdadeiramente comer isto?

Passo 2

Se a resposta for inferior a 7 se calhar não terá assim tanto prazer a comer, concorda? Afinal a vontade não é assim tanta! Se a resposta for superior a 7 pergunte-se vou ser capaz de comer com prazer neste momento, ou estou com tanta fome que vou devorar? Se for capaz de comer então avance!

Passo 3

Pare de comer quando se sente saciada, ainda que isso implique deixar comida no prato. Não vai ter mais prazer por ficar de estômago a abarrotar e pior nem vai aproveitar o resto do dia! Não vale assim tanto a pena! Comer com prazer é perceber qual é o nosso limite!

Passo 4

Respeite a sua fome. Procure ter sempre consigo lanches equilibrados que lhe permitam comer assim que a fome aparecer. A fome é um mecanismo do nosso corpo que nos mostra quando precisamos de repor energia, se fizer um bom lanche

Passo 5

Lembre-se de ser feliz e livre e não uma refém da comida! Elimine os padrões mentais que criou e que a sociedade nos diz. Tenha a atitude de ser dona das suas escolhas!

Gostou deste artigo? 

Deixe a sua opinião! 

Bem se Queira, sempre!

Drª Patrícia Costa